Como interpretar textos

3 erros comuns na interpretação!

ERROS COMUNS EM ANÁLISE DE TEXTOS

  1. EXTRAPOLAÇÃO – é o fato de se fugir do texto, ou melhor, “escorregar na maionese”. Ocorre quando se interpreta o que não está escrito. Muitas vezes são fatos reais, mas que não estão expressos no texto. Deve-se dar importância somente ao que está relatado.
  2. REDUÇÃO – é o fato de se valorizar uma parte do contexto, deixando de lado a sua totalidade. Deixa-se de considerar o texto como um todo para se ater apenas à parte dele.
  1. CONTRADIÇÃO – é o fato de se entender justamente o contrário do que está escrito. É bom que se tome cuidado com algumas palavras, como: “pode”, “deve”, “não”, o verbo “ser”, principalmente.

 

O mistério 

O que podemos experimentar de mais belo é o mistério. Ele é a fonte de toda a arte e ciência verdadeira. Aquele que for alheio a essa emoção, aquele que não se detém a admirar as colinas, sentindo-se cheio de surpresa, esse já está, por assim dizer, morto e tem os olhos extintos. O que fez nascer a religião foi essa vivência do misterioso – embora mesclado de terror. Saber que existe algo insondável, sentir a presença de algo profundamente racional e radiantemente belo, algo que compreenderemos apenas em forma muito rudimentar – é esta a experiência que constitui a atitude genuinamente religiosa. Neste sentido, e unicamente neste sentido pertenço aos homens profundamente religiosos.
(Albert Einstein – Como vejo o mundo)

 

  • Extrapolação: O texto fala sobre a importância de Deus e da religião, e sobre o mistério da criação do universo.

 

  • Redução: O texto afirma que o terror fez nascer a religião.

 

  • Contradição: O texto afirma que quem experimenta o mistério está com os olhos fechados e não consegue compreender a natureza.
Comentários

Deixe um comentário